quarta-feira, 27 de abril de 2022

 

Competências Profissionais


A competência profissional remete à ideia de capacidade, soma de conhecimentos ou habilidades. Dessa forma, espera-se que o profissional dotado de competências encontre mais facilidade para se colocar no mercado de trabalho.

Hoje em dia, o mercado está muito diferente. Não existem mais empregos que são garantidos pelo resto da vida, mesmo os de médicos e, por isso, é necessário que o mercado saiba como se reinventar.

 A grande quantidade de inovações e mudanças surgidas ao longo dos últimos anos no mercado, formaram um cenário novo e único no mundo corporativo. Isso fez com que trabalhadores de todos os tipos de atuação tenham que se atualizar para permanecer à frente de seus concorrentes.

Desta forma, um novo cenário vem ganhando mercado. Muitos profissionais se formam em ótimas universidades; porém falta uma visão de negócios, ou seja, uma visão de empreendedorismo.  

Na gestão estratégica de recursos humanos, a gestão por competências vem apoiando diversas organizações na orientação de seus esforços para planejar, captar, avaliar e desenvolver as pessoas.

Alguns exemplos de competências no mercado:

ü  Ser líder; saber trabalhar em equipe;

ü  Ter iniciativa;

ü  Saber se comunicar de maneira clara e objetiva;

ü  Ter uma boa gestão do tempo;

ü  Tomar decisões;

ü  Visão de empreendedor;

Enfim um mercado com muitas oportunidades para o futuro, entretanto as empresas estão cada vez exigentes em relação as nossas competências!!! Pense nisso! Silvia Zanata

terça-feira, 9 de novembro de 2021

       O papel da emoção na tomada de decisão


Será que existe tomada de decisão com sensatez? E como os fatores sociais, culturais e emocionais influenciam o comportamento do consumidor? Normalmente nós tomamos decisões na base da emoção e depois criamos razões racionais para justificá-la, principalmente quando dão errado. Ao tomar decisões, avaliamos o valor das escolhas disponíveis, através de processos cognitivos e emocionais. Segundo o neurocientista Antônio Damásio (2016), o uso da razão sem emoção não garante boas escolhas. Damásio, que conquistou reconhecimento internacional na área da neurociência, relaciona sentimentos como o medo e a compaixão ao processo de tomada de decisão. O autoconhecimento, a consciência de outros fatores que influenciam o processo, ter ciência das emoções que nos compõem, nossas memórias emocionais acumuladas com as experiências, tudo isso reflete na tomada de decisão. Razão e emoção, segundo o autor, devem andar juntos para que possamos fazer melhores avaliações e decisões. 

Segundo o autor, uma decisão sensata não é uma decisão tomada apenas com conhecimento, sendo que os fatores pessoais e de afeto social devem ser considerados no momento desta decisão. Para o autor, quanto mais as pessoas compreenderem que certos fatores pesam muito para suas tomadas de decisão, como os fatores culturais, maiores são as chances de as decisões sensatas virem à tona.

De acordo com Damásio (2016) as pessoas vivem de forma muito diferente do que há trinta anos, e a velocidade e quantidade de informações são muito diferentes do passado. A tomada de decisão é influenciada tanto por estímulos ambientais, que operam a nível sensorial, cognitivo, afetivo e social, quanto pela organização morfológica e funcional do sistema nervoso, processos neuroquímicos e circuitaria neural. 

Silvia Zanata

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

           

  Neurociência e o comportamento do consumidor


 Nos últimos anos, inúmeros estudos foram realizados com o intuito de se entender, de forma mais assertiva, as atividades cerebrais e como elas influenciam no comportamento humano. E é justamente nesse contexto que se encaixa a neurociência. Nesse sentido, a neurociência do consumidor tem-se apresentado como um novo campo de estudo seja no processo gerencial, nas elaborações de estratégias ou tomadas de decisões, contribuindo com a empresas para elaboração de ações mais assertivas

O estudo do comportamento do consumidor visa entender quando, porquê como e onde as pessoas decidem ou não adquirir um produto, ou seja uma série de questionamentos fundamentais quanto ao processo de decisão do comprador de forma individual quanto em grupo.  

Considerando o contexto atual de estudos, pesquisa e ensino de marketing em diversos cursos que atuo como Administração e Marketing, a escolha por este tema se deu ao fato que muitas empresas estão adotando estratégias de neuromarketing em relação ao atendimento ao cliente, e isso vem chamando a atenção de muitos profissionais do mercado.

Considerando a interdisciplinaridade em que o comportamento do consumidor está inserido, outros docentes e demais profissionais de marketing terão interesse neste assunto, constituindo um campo aberto a contribuições de novos métodos e técnicas de pesquisa. Enquanto a neurociência estuda como o cérebro e o sistema nervoso influenciam as decisões das pessoas; o marketing, com base nessas informações, tenta entender de que forma isso pode ser aplicado em suas ações.

Silvia Zanata

segunda-feira, 28 de junho de 2021

         


 A era da Experiência

 As bases de uma estratégia competitiva de marketing de sucesso são constituídas de uma compreensão profunda e holística dos compradores, do que os motiva, do que eles valorizam e de como fazem suas escolhas. As empresas devem analisar as transformações que estão acontecendo na sociedade e adaptar o seu produto ou serviço conforme a demanda do mercado; ou seja, conforme as decisões de compra do consumidor.

Entender o cliente talvez seja um dos maiores desafios de toda empresa no mercado. O desempenho de determinado produto ou serviço está diretamente ligado ao conhecimento que você tem do consumidor e à sua capacidade de se colocar no lugar dele e entender seus anseios, motivações e prioridades.

Com que frequência os clientes consomem seus produtos? Eles são fiéis à sua marca? É preciso também entender como foram as experiências anteriores com a sua marca ou com seus concorrentes. Experiências negativas devem ser analisadas com cuidado para evitar que não ocorram de novo. Da mesma forma, é preciso dar credibilidade para o cliente para que a experiência positiva sempre ocorra. Esta é a era da experiência. O atendimento deve ser rápido, eficiente e personalizado. Pense nisso!!!

Silvia Zanata


terça-feira, 4 de maio de 2021


Marketing de Serviços 

O termo serviços tem origem na ideia de servir, de atender à necessidade de outra pessoa, realizando uma determinada tarefa. Por isso, existem algumas particularidades que diferem de alguns segmentos.  Vamos entendê-los.

Ø  Pessoas: profissionais, às vezes, outros clientes envolvidos na produção de serviço. Muitos serviços dependem de interação direta e pessoal entre os clientes e os funcionários (como em restaurantes, hotéis, salão de beleza, entre outros). A natureza dessas interações influência muito as percepções da qualidade do serviço pelo cliente. Os clientes geralmente julgarão a qualidade do serviço que recebem em grande parte pela avaliação das pessoas que estão fornecendo o serviço. Acontece normalmente no momento da compra, por exemplo o cabeleireiro necessita da presença do cliente para realizar seu serviço; assim como a manicure, o garçom, um dentista e assim por diante.

 

Ø  Produtividade: o grau de eficácia com que a matéria prima e os equipamentos são transformados pelos funcionários e que adicionam valor para os clientes. Vamos pensar no dia-a-dia do seu negócio: quantos clientes são atendidos até o final do expediente? Como foram atendidos? Temos que pensar na lucratividade e qualidade do atendimento. Será melhor atender 30 clientes que não ficaram tão satisfeitos ou 15 onde todos saíram satisfeitos. Pense como trabalhar a produtividade com sua equipe.

 

Ø  Processo: um método particular de operações ou série de ações, normalmente envolvendo passos que precisam ser dados em uma sequência definida. O processo descreve o método e a sequência dos sistemas operacionais de serviços.

Pense em todas as etapas e dos envolvidos no atendimento.

Exemplo:

1.      O cliente ligou e reservou uma mesa no restaurante.

2.      O cliente chega e é recebido pela recepcionista e encaminhado até sua mesa.

3.      O garçom irá até a mesa do cliente.

4.      Inicia o procedimento, em relação ao cardápio etc.

5.      O pedido do cliente está sendo preparado na cozinha.   

6.      O garçom serve o jantar.

7.      O garçom irá trazer a conta e pergunta se está satisfeito ou sugere uma sobremesa.

8.      O cliente paga a conta.

9.      O cliente é acompanhado até a porta do restaurante.

             Esses passos de forma muito simples demonstram como se dá o processo dentro de um restaurante.  Desde a chegada até a saída do cliente. Desta forma, você deve pensar em relação ao processo que está sendo realizado em relação ao atendimento do seu cliente.  

Por último temos a evidência física que provoca reações imediatas em relação a imagem do seu negócio.

 

Ø  Evidência física: pistas visuais ou outras pistas tangíveis que fornecem evidência da qualidade do serviço. A aparência de edifícios, jardins, veículos, mobília interior, equipamentos, membros do quadro pessoal, placas, material impresso e outras indicações visíveis fornecem evidência tangível da qualidade do serviço de uma organização. As empresas de serviço precisam administrar cuidadosamente a evidência física porque esta pode exercer um impacto profundo sobre as impressões dos clientes.

As empresas de serviço precisam entender as implicações dos componentes da administração de serviços para o desenvolvimento de estratégias eficazes. Aquelas que não conseguirem compreender essas implicações tenderão a ser deslocadas por concorrentes mais aptos a responder às mudanças radicais que afetam a economia de serviços. É muito difícil de avaliar algo intangível, algo que você não está sentido no aspecto físico, como se o intangível se tornasse tangível na visão do cliente.

Acompanhar tendências por meio das feiras e mídias sociais, participar de congresso da área, treinamento constantes, analisar lançamentos de novos produtos; diria que parece árduo, porém prazeroso trabalho de campo, para aqueles que desejam se destacar no mercado.

Existe um ditado popular muito utilizado “a primeira impressão é a que fica”. Desta forma torna-se muito difícil reconquistar um cliente quando este saiu decepcionado do seu estabelecimento por alguns motivos que implicaram em uma imagem negativa.  

O cliente se sente mais seguro quando percebe que o profissional que o atende está preparado e apto para a realizar o atendimento. Pense Nisso!!

Silvia Zanata

 

segunda-feira, 22 de março de 2021

 Marketing Pessoal e Competências Profissionais



Marketing pessoal é o conjunto de estratégias cujo objetivo é estabelecer uma percepção positiva acerca de um indivíduo. Pensando em uma entrevista de emprego, diante de uma equipe de recrutamento, nós somos verdadeiros vendedores.

O marketing pessoal também é muito procurado por pessoas que procuram entrar no mercado de trabalho, e é uma forma de diferenciação de todos os outros.

Marketing Pessoal é o conjunto de estratégias, aplicadas de maneira coerente e planejada, que irão fazer com que você atribua um maior valor a sua imagem pessoal. Ou seja, é um marketing voltado para as pessoas verem você com uma imagem bastante positiva.

Uma pessoa deve saber mostrar que é confiante, tem capacidades específicas, tem valor, e que pode contribuir para o crescimento da empresa.

Além disso, deve conseguir revelar capacidade de aprender e de iniciativa, e inteligência emocional para lidar e se relacionar com outras pessoas.

O Marketing Pessoal explora características como as habilidades de um funcionário, suas experiências, a capacidade que ele tem de fazer networking e de promover a sua atuação em novos canais como a internet.

Conquistar espaço no mercado de trabalho é mais fácil quando você consegue atrair atenção para aquilo que faz. Pense nisso.

Silvia Zanata

terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

Jornada de Experiência com o cliente


Pensar na experiência do cliente é se atentar a todos os pontos de interação e identificação do consumidor com seu produto ou serviço. A promoção e a preocupação com a experiência pode ser a peça-chave para o crescimento das empresas de forma geral. A experiência do cliente está diretamente ligada à percepção que as pessoas têm com relação à sua marca.

Não é apenas sobre personificar atendimento, é facilitar processos, agregar conforto, segurança e diferenciação. O ideal é fortalecer uma relação acima da comercial, com um vínculo mais próximo com o cliente, tornando-o como fator de sucesso não apenas para o seu negócio, mas para ele mesmo. Focar em pontos que garantam o encantamento, pontos é garantir o encantamento do seu cliente. Além de assegurar que, seja qual foi o contato da pessoa com a sua marca (ou seja, sendo ele cliente ou não), ele saiu com uma visão positiva. Assim as chances de ele retornar ou mesmo indicar para outras pessoas se tornam mais fortes.

Silvia Zanata